O kpop acabou de ser salvo graças ao GWSN e o lançamento de Like it Hot

Seguimos com a programação de lançamentos coreanos dessa semana, agora com o GWSN (ou Girls in the Park) dando as caras. Elas podem ser total desconhecidas pro restante do mundo, mas aqui na blogosfera as bichas são aclamadíssimas; por exemplo, ano passado elas apareceram no top 10 de quase todo mundo, principalmente com a maravilhosa Tweaks, que foi uma espécie de reset cultural pra todos nós.

Eu mesma, que demorei a digerir o GWSN, deitei horrores pra Tweaks. E, com isso, o grupo ganhou um passe especial de ter seu próprio post dedicado no AYO GG, ainda mais depois de ler notícias de que as gatinhas estariam passando por dificuldades por causa do retorno pequeno das músicas em solo doméstico. Não quero ver ninguém trabalhando meio período pra pagar as contas, Brave Girls, faça algo! 

Like it Hot é a nova aposta delas. Dá uma olhadinha aí!

É bem impressionante que, mesmo com o dinheiro curto, Like it Hot soa redondinha, com a produção toda no ponto e sem falhas de empresas menores ou de grupos nugus. Consigo ver o IZ*ONE performando isso aqui por ser bem a cara de toda a discografia delas, o que dá abertura pra uma filosofia rápida: O GWSN poderia hitar se tivesse saído do Produce, ou o IZ*ONE estaria fadado a viver na sombra se fosse debutado por uma empresa desconhecida? Acho que são coisas que merecem questionamento. 

Sem menosprezar a jornada de um grupo ou outro, ou entrar nos méritos de ter sido um golpe de sorte, mas ambos os grupos apresentam uma discografia bem uniforme e o GWSN ainda ganha pontos por se permitir ousar em cada uma das suas titles. Puzzle Moon, Pinky Star, Red Sun, Bazooka… Todas soam diferentes entre si, mesmo fazendo parte de um mesmo conceito universal dentro da narrativa do grupo. Como eu já tinha comentado antes, as nugus parecem ter uma carta branca pra pirar nas composições e serem mais experimentais, e disso acabam saindo coisas muito boas, como Like it Hot.

Esse é o primeiro single que eu gosto de verdade do GWSN, talvez muito movida pela situação atual do grupo, mas isso me deu abertura pra ouvir com atenção todas as texturas dessa música. Like it Hot tem um tropical house como base (razão pela qual me lembrou tanto as músicas do IZ*ONE), com pequenas camadas de sintetizadores que explodem aos poucos até o refrão, que desemboca num baixo gravíssimo. Apesar de serem dois ritmos bem diferentes, a música te prepara pra essa transição, ao mesmo tempo em que ouvir isso se torna uma surpresa agradável. 

O MV é bem básico, o que evidencia a falta de orçamento da The Wave Music (antiga Kiwi Company) com as meninas, mas ainda assim ele tem uma historinha pra contar. A gente tem um ateliê improvisado com alguns cortes de cena e transições de coreografia, além de uns efeitos visuais que destoam muito do restante do MV, e mesmo assim tudo funciona. É modesto e simples, mas é bem feito, e ainda conversa com o título do EP com elas pintando um quadro da outra face da lua, ao mesmo tempo que oferecem uma nova face de si mesmas. 

O GWSN é um grupo que não se rendeu aos modismos, apesar do kpop caminhar pro outro lado. Nisso, queria destacar as reflexões da Carla, do Arthur e da Bruna a respeito dessa sonoridade derivativa e “ocidental” sendo que no ocidente estão trabalhando outras coisas. Essa sede pela aprovação do outro lado do mundo resultou em uma massa apática de empoderamento feminino. Like it Hot representa um respiro, daqueles que a gente dá depois de muito tempo com o nariz entupido, sentindo cada molécula de ar circular nos pulmões. Acho que eu tava precisando de uma música assim.

Escute também: e i e i o

Incrível que elas conseguiram bancar um EP de seis músicas com todos os problemas financeiros, e valeu super a pena. The Other Side of the Moon mergulha na sua proposta de trazer outros conceitos, como se o grupo estivesse vivendo uma outra fase. Com isso, a tracklist toda é muito proveitosa, se aventurando em novas sonoridades e obtendo sucesso em praticamente tudo, tanto que eu fiquei em dúvida do que eu tinha gostado mais. Mas acho que e i e i o cumpre o mesmo papel de Tweaks no ano passado, mesmo sendo músicas tão distintas; ambas possuem uma característica mais bold, mais madura, só que, dessa vez, e i e i o é um thriller divertido meio faroeste que poderia fazer parte da trilha sonora de algum filme do Tarantino, com o GWSN cantando alegremente que elas vão meter bala num macho essa noite. A música é tão icônica que foi banida de ser transmitida pela KBS por conter sinais de abuso, mas qual seria o maior deleite dessa vida senão torturar o homem coreano moderno? 

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Curious Cat | Instagram

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

4 pensamentos

  1. “O GWSN poderia hitar se tivesse saído do Produce […]”.

    A ironia é saber que a Seokyong (a garota de cabelo curto e lilás) participou da primeira edição do Produce 😅 ela era um trainee independente. Eu torcia tanto por ela que a menina acabou debutando mesmo ❤️

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Carlos Sobrinho Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s