Recap AYO GG | Girls Planet 999, episódio 1

Depois de quase oito meses de espera, ele está aqui: o novo reality show da Mnet que promete criar mais um girlgroup livre de manipulações, Girls Planet 999! E eu, assim como uma boa parte da blogosfera, vou comentar cada episódio do meu jeitinho, pra que você não tenha que assistir duas horas e meia de um negócio que ficaria muito melhor com uma hora só. Enfim, coreanos e essa mania de colocar um monte de groselha pra fazer o programa render horrores desnecessariamente. 

Se você ainda não sabe como vai funcionar o Girls Planet 999, eu te explico: serão 12 episódios acompanhando 99 garotas da Coreia do Sul, Japão e China em busca do sonho de debutar. Elas serão divididas em units (vou explicar mais pra frente) e, se uma integrante da unit for mal nas missões, todas as outras vão pra vala também. Aparentemente, a cada missão/performance, as nove melhores serão os destaques. 

O sistema do programa parece diferente (mas é tudo a mesma coisa, a Mnet quer apagar o Produce da memória de qualquer jeito e não consegue). Todas elas estão inseridas num “planeta” e o responsável por fazer essa comunicação entre elas e o “mundo externo” é o Planet Master, o ator Yeo Jingoo. Junto dele, temos a Tiffany e a Sunmi como K-Pop Masters, representando vocal (junto do Lim Hanbyul e da Jo Ayoung) e dança (junto do Back Kooyoung e da Jang Juhee) respectivamente. 

Além disso, o público é chamado de Planet Guardians, que vão votar nas suas meninas favoritas através do aplicativo Universe. Os votos serão compostos por 50% Coreia do Sul e 50% restante do mundo. Bizarro esse sistema de votação, mas enfim… Não entendi ainda como as nove melhores se conectam com os votos do Universe. Deve ter passado no fim do episódio de hoje, mas eu prestei atenção? Claro que não. 

Mês passado, eu montei meu ranking de acordo com os vídeos de apresentação que foram divulgados pelo canal da Mnet. Será que alguma coisa mudou depois do episódio de hoje? Será que as minhas bichinhas se deram bem? Será que eu fui influenciada pelo senso crítico da Sunmi? Vamos ver tudo isso no recap abaixo.

Arrependida

O programa começa falando sobre o planeta e seus seis mil idiomas, tudo isso com uma narração extremamente profunda do Yeo Jingoo. Caguei pra essa parte, eu queria ver logo o fervo, mas foram alguns vários minutos de introdução das meninas se encontrando num cenário que parecia exposição do Museu da Língua Portuguesa. Na real, eu achei bonito e criativo, cada representante dos três países do programa saindo por uma porta diferente e se encontrando no centro, mesmo com elas fingindo que não tinham 800 câmeras filmando elas.

Outra coisa legal foi separar as meninas em trios, com alguma coisa em comum (e ainda secreta) ligando as três. Isso meio que conversa com a proposta do programa, aquele negócio de todas serem interligadas por um sentimento, que seria o desejo de debutar. Começamos com o trio Yurina Kawaguchi/Kim Yeeun/Gu Yizhou, conectadas pela admiração pelo… TWICE. E, a partir daí, outros trios vão surgindo e tomando seus lugares no palco principal, e isso envolve desde serem consideradas “all-rounders” até o fato de gostarem de comer pé de frango.

Nessa introdução das participantes, uma merece menção aqui: Chen Hsinwei. trainee da Yuehua e considerada um ícone da beleza na China. Quando ela entra, rouba a atenção de absolutamente todo mundo. Então, na entrevista individual, perguntam de quem ela gostou mais entre as meninas presentes. Eis que ela responde:

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Fora que ela chamou o Jingoo de feio sem querer. Lenda.

Bom, o programa deu uma acelerada nas apresentações, mostrou o Yeo Jingoo e sua equipe de mestres e explicou as dinâmicas do programa. Quando ele disse que as units deveriam trabalhar juntas pra evitar uma eliminação em conjunto e mais, que as gatinhas poderiam trocar de grupos conforme fosse conveniente pra elas, foi o momento onde todo mundo soltou a mão de todo mundo. Literalmente. Afinal, quando a competição vai apertando, é necessário montar uma estratégia pra se manter de pé. Quem vai querer ficar com uma flopada no ranking? Espero que isso não fique confuso ao longo dos episódios porque eu prevejo muita rivalidade feminina. Tem tudo pra fermentar o programa.

Antes de comentar as apresentações desse primeiro episódio, vamos lembrar da Wen Zhe chamando o Jingoo de oppa mesmo tendo a mesma idade que ele. A cara dela é impagável, outra lenda.

Visual Killer – Rumor

(Shen Xiaoting, Xu Ruowei, Huang Xingqiao, Chen Hsinwei)

O primeiro grupo a se apresentar foi o das chinesas, e começando com uma historinha dramática que esses realities amam colocar. Temos a primeira e a última do ranking juntas, atuando como uma espécie de mamãe e filhinha que ajudam uma a outra, prato cheio pra aumentar ainda mais os fatos a seguir. Enfim, elas apresentaram essa música que eu nem lembrava que tava no EP de estreia do Hot Issue, pra vocês verem como isso é qualquer coisa mesmo, e a apresentação foi muito inconsistente. 

Como dá pra perceber, a Xiaoting não é a center chinesa a toa. Por conta das restrições anti-hallyu, é muito difícil a gente encontrar uma chinesa que tenha aura de idol coreana hoje em dia, mas ela performa muito bem e sabe manter as expressões nos momentos certos. A Xiaoting parece que trabalhou em cima disso tudo, até porque ela participou da terceira temporada do Produce chinês no ano passado. Pessoalmente, ela carregou essa apresentação nas costas, concordei demais com a decisão dos mestres. Fora isso, péssimo.

Favorita: Shen Xiaoting.

Crystal Girls – Fancy

(Yume Murakami, Yurina Kawaguchi, Ririka Kishida, Yuna Kitajima, Hana Hayase)

Fancy é o breakthrough do TWICE pra uma nova sonoridade e, como elas são muito queridas no Japão, nada mais justo que o primeiro grupo se apresentar com uma música delas. Foi assim que as japonesas debutaram no Girls Planet 999, pena que a apresentação não foi das melhores. Fiquei bem decepcionada com a performance da Yume, que foi uma das minhas favoritas no meu post passado, o vocal da bichinha é ruim. A boa notícia é que dá pra melhorar, diferente de outras duas ali que, pelo amor de Deus…

Já a Yurina provou que é fã do TWICE e mandou bem na apresentação, sendo a única escolha possível entre as cinco. Fancy é uma música que precisa de muito controle da respiração por conta da coreografia, e deu pra perceber que a voz dela é bem estável. Com um pouco mais de treino, ela vai longe. Isso vale pra Yume e pra Hana também, espero que elas treinem bastante o que chamam de “canto de barriga” porque elas têm timbres bonitos.

Favorita: Yurina Kawaguchi.

Cuties – Black Mamba

(Lee Yunji, Kim Chaehyun, An Jeongmin)

Só pra contextualizar, esse número que aparece na placa delas é a posição do ranking em relação a apresentação da música-tema. Dito isso, por que a gente tem a Yunji em sétimo e a Jeongmin lá no final? Dá pra perceber que a Yunji não tem controle nenhum da voz, além do timbre horroroso da Rosé num dia ruim (o que não é difícil). As outras duas que foram relativamente mal ranqueadas performaram mil vezes melhor, e aí entra o diferencial do currículo das gatas.

Tanto a Chaehyun quanto a Jeongmin foram trainees da SM (antes da apresentação, perguntam pra Chaehyun como ela se sente vendo suas amigas debutando antes que ela, amigas essas que provavelmente são as aespa). E a SM pode ser tudo, mas ela continua produzindo vocalistas muito bons ou com potencial enorme mesmo depois de anos de existência, principalmente a Jeongmin, que foi merecidamente o destaque dessa apresentação. Ela tava muito nervosa no vídeo de introdução e acabou se atrapalhando toda, mas agora eu vou prestar mais atenção na lenda.

Favorita: An Jeongmin (a Chaehyun também entraria se não fosse o erro bizarro na high note).

Hot Sauce – Kick It

(Seo Youngeun, Yoon Jia)

Essa é provavelmente a melhor performance do primeiro episódio. Eu, que passo longe de boygroup (ainda mais depois que o LOONA normalizou garotas interpretando boygroups e gerou uma onda de comebacks ruins), me interessei pela música só de ver essas duas apresentando. Aqui teve carisma, teve coreografia, teve vocal, teve rap e, acima de tudo, melhorou o NCT 127 em 50000%. E, normalmente, músicas masculinas interpretadas por meninas funcionam bem até hoje causam muito impacto (tanto que as duas foram as favoritas dos mestres e conseguiram um adesivo), ainda mais se, antes de se apresentar, você faz umas piadas horríveis e constrange a colega do lado. Coreano gosta de dualidade.

Favoritas: Seo Youngeun, Yoon Jia (se nada der certo, já dá pra debutar as duas em outra coisa, anota a ideia aí).

December Girls – DUMDi DUMDi

(Mashiro Sakamoto, Nagomi Hiyajo)

Mais uma dupla, dessa vez japonesa, apresentando uma péssima música do (G)I-DLE, mas que, de certa forma, combinou demais com elas. Surpresa pela Mashiro ser a segunda do grupo japonês, porque quem roubou a cena aqui foi a Nagomi. Ela parece ter um timbre muito mais estável e, bom, eu não sei falar coreano, mas a dicção da Mashiro é uma merda, mesmo tendo treinado junto do ITZY por dois anos. Tomara que ela consiga desenrolar mais a língua pra cantar porque, num geral, a apresentação foi bem consistente.

Favorita: Nagomi Hiyajo. 

Moana Yamauchi – Black

Não sei qual foi o motivo pra cortarem essa performance do episódio: ficaram com medo da BoA ver? A empresa da gata não molhou a mão da Mnet o suficiente? Triste, preferiram enfiar um monte de gralha cantante (como a gente vai ver mais pra frente) e prejudicaram essa gatinha aqui, que deu o nome numa música super difícil como é Black, porque exige muito sex appeal, além do peso da intérprete original. Também foi uma das minhas performances favoritas e, como o programa fez o favor de cortar da edição final, não dá pra saber o que os mestres acharam, mas espero que a Tiffany não tenha decepcionado a unnie e aceitado a Moana na primeira bateria. 

Favorita: Moana Yamauchi (óbvio).

Spring Girls – Hug U

(Risako Arai, Fuko Hayashi, Miu Sakurai, Manami Nagai, Miyu Kanno)

Mais um grupo de japonesas boicotadas pela edição final performando uma música de um grupo falido como o DIA. E, mais uma vez, não entendi o corte. Não sei se acharam que a escolha da música não chamaria atenção o suficiente, se acharam a apresentação sem graça ou qualquer outro motivo idiota. Eu gostei até da formação dessa unit, daria um ótimo grupo, e acho que elas emularam bem o DIA. Óbvio, uma ou outra se sobressaiu se a gente for analisar cada uma das integrantes, mas num geral achei melhor do que muita coisa que foi apresentada (tanto que eu me interessei por umas três meninas daí). A Mnet sabe o que gera bafafá e um monte de japonesas cantando DIA não tá incluso. 

Favoritas: Risako Arai, Miu Sakurai, Manami Nagai.

Energy Maknaez – Nonstop

(Ayana Kuwahara, Ruan Ikema)

Outra apresentação que foi cortada foi essa daqui, mas acho que foi com razão dessa vez. O resultado não ficou legal, Nonstop é uma música que exige muita energia por ser bem alegre e foi exatamente isso que faltou. O fato de ser uma dupla apresentando também prejudicou a performance porque uma delas canta muito mal como se tivesse num karaokê, e a outra precisou compensar mesmo não tendo um vocal daqueles. Achei a coreografia morna também, parece que elas cansaram muito rápido. Parece impossível, mas eu prefiro a versão do Oh My Girl mesmo…

Favorita: Ayana Kuwahara.

Burn Crush – Boombayah

(Hikaru Ezaki, Shana Nonaka, Kotone Kamimoto, Rei Kamikura)

Daí a Mnet corta duas boas performances pra colocar essa bosta. Primeiro: pelo hype do Blackpink. Segundo: por conta daquela performance HORRÍVEL do Produce 48 (esse vídeo deveria ser incluído num manual de como não passar vergonha). Terceiro: por conta da Hikaru. Caralho, eu nunca vi garota mais insossa, até a irmã do menino que trabalha com o BTS tem mais carisma que essa porta, e insistem em falar que ela tá arrasando (a edição fez o favor de botar o quanto ela trabalhou duro e até meteram um suspense antes de anunciarem ela no primeiro ranking, morro). Se ela quis ser a Jennie dessa unit, ela falhou miseravelmente porque a gata é muito mais simpática que ela. To ansiosa pra ver o quão longe a Hikaru vai porque vai chegar uma hora que o tombo vai ser TÃO gostoso… De resto, apresentação mediana pra ruim.

Favorita: Shana Nonaka.

Shooting Star – POP/STARS

(Kim Dayeon, Choi Yeyoung, Kim Suyeon)

Só Deus sabe o quanto eu detesto essa música, mas acho que as meninas apresentaram razoavelmente bem. A Dayeon entregou muito na performance, por isso não entendi o motivo dela ter ficado de fora na escolha dos mestres. Será que vão fazer uma espécie de arco de superação com ela? Bom, se ela se manter no nível dessa performance, meu pano tá prontinho pra ela, vou apoiar contra tudo e todos. Fora isso, gostei da escolha da Suyeon, a gatinha cantou bem e deu um show de estabilidade vocal pra todas as participantes, merecendo o título de all-rounder que ela ganhou no começo do episódio. 

Favoritas: Kim Dayeon, Kim Suyeon.

Luxury Proportion Girls – Violeta

(Xia Yan, Zhang Luofei, Yang Zige, Wang Qiuru, Zhou Xinyu, Cui Wenmeixiu)

Pelo que eu percebi ao longo do episódio, a Mnet cometeu um crime cortando a maioria das chinesas da edição final, como por exemplo essa performance lindíssima de Violeta, superando até algumas marmotas que debutaram no IZ*ONE. Vocais muito bons, apresentação consistente com poucas falhas, enfim… Nunca vou entender quais são os critérios pra definir quais performances vão pro ar que não sejam grana envolvida. Pois se eu fosse a China, nunca mais mandava trainee nenhuma pra essas patifarias, imagina o desrespeito com a Qiuru, por exemplo, personalidade de um dos maiores grupos do país? Pra chegar na Coreia e ter meio segundo de tela, pelo amor de Deus. Apresentação injustiçada!

Favoritas: Xia Yan, Zhang Luofei, Yang Zige.

Monster Baby – Crazy

(Kang Yeseo, Lee Chaeyun, Kim Sein, Guinn Myah)

Muito hype pra pouco serviço. Sei lá, elas dançaram bem e até conseguiram vender a tal da dualidade (são as integrantes mais novas do grupo coreano) que esses programas tanto gostam, mas, porra, passaram todas as quatro? Odiei, achei até meio comprado (e eu não duvidaria se fosse mesmo), pra mim só a Yeseo merecia o destaque, até porque ela trabalha desde pequena e tem muita experiência de palco (isso ficou evidente com o microfone que desprendeu da roupa dela e eu nem vi a safada botar no bolso depois). Eu até gostei das outras, a Sein tem um timbre legal e a pirralha que perdeu o dente esses dias é carismática. Agora aprovar o Haechan de franja pra mim foi demais, sério. 

Favorita: Kang Yeseo.

Twins – Hmph!

(Liang Jiao, Liang Qiao)

LENDAS! Só isso que eu tenho pra dizer. Falando sério, óbvio que nenhuma das duas passaria com um voto dos mestres, elas foram lá pra se divertir, mas as gêmeas funcionam tão bem juntas que me conquistou de cara. Eu já tinha botado a Jiao no meu primeiro ranking porque eu acho que é sobre isso, o pum do palhaço que a Regina Duarte tanto falou no discurso de posse dela, porque a vida é feita de palhaçada e tá tudo bem. Só que essa performance trouxe uma felicidade que eu nem sabia que existia ainda, sabe? Elas sabem que não vão longe na competição, então fizeram valer seus minutinhos de fama e foram muito bem nesse quesito. Só ganhariam mais pontos comigo se tivessem apresentado aquela lá do Strawberry Milk (pelo fator gêmeas mesmo).

Favoritas: Liang Jiao, Liang Qiao.

Palette Girls – Wannabe

(Leung Cheukying, Wu Tammy, Li Yiman, Poon Wingchi, Lin Shuyun)

Complicado, viu? Isso aqui tá tão ruim quanto o ITZY, e o que me deixou surpresa foi o fato de ter duas bem ranqueadas nessa palhaçada. Não foi apresentado na edição final, mas deixou o Lim Hanbyul tão puto que ele disse ter ficado motivado. Porra, eu queria ter visto o fecho trans que os mestres deram nessas garotas, a Mnet nunca deixa as coisas legais pros espectadores verem. Mas sabe o que é mais doido? Os vocais horríveis funcionam bem harmonizando no refrão, ou seja: acho que se elas tivessem cantado tudo em coro igual a torcida do Corinthians, talvez tivesse sido melhor. Curiosidade: a menina com o cabelo gigantesco me irrita muito (por causa do cabelo gigantesco mesmo), mas ela foi a que cantou melhor.

Favorita: Wu Tammy.

Shining Girls – Twinkle

(Wang Yale, Liu Shiqi, Ma Yuling)

Coitada da Tiffany… Ela tava tão ansiosa pra isso aqui que foi impossível não ter pena dela quando a performance acabou. Na verdade, elas escolheram uma música bem difícil, principalmente por causa da pressão em apresentar algo que, originalmente, é cantado pelas três principais vocalistas femininas de uma das maiores empresas de entretenimento da Coreia do Sul. Detalhe: sendo chinesas e não sabendo quase nada do idioma. De verdade, eu não achei tão ruim nos versos e no refrão, achei os vocais bem estáveis nessas partes, mas que é difícil segurar as high notes fudidas da Taeyeon… O ponto eletrônico da Tiffany deve ter explodido nessa hora. Num geral, foi bem decente. Achei corajoso. 

Favorita: Liu Shiqi.

S2 – Dolphin

(Hsu Nientzu, Ho Szeching)

Outras chinesas cortadas pela Mnet com muito bom senso, porque isso aqui tá horrível. A coitada não conseguiu sustentar uma nota mais longa que nem high note era, lamentável. E aí entra a Sunmi mandando a real, dizendo que “elas nem sabem o que é kpop”. Quer dizer, não foi exatamente com essas palavras, meu Deus, não me cancelem. O que ela quis dizer é que muitas trainees chinesas do programa estão tendo contato com o modo de se fazer kpop pela primeira vez, e que é um sistema que funciona de um jeito diferente. Ou seja, talvez elas não estejam acostumadas a usar tanto o diafragma pra cantar, perdem o ar com muita facilidade, têm vocais instáveis… E foi exatamente o que aconteceu aqui. Escolher Dolphin achando ser mais “fácil” foi um erro de novato, porque não é fácil. Espero que as gatinhas melhorem daqui pra frente.

Favorita: Hsu Nientzu (o vocal dela é bem mais seguro que o da outra).

0505 Maknae – Roly Poly

(Liu Yuhan, Lin Chenhan)

Depois que a Coreia perdoou o T-ARA, elas tão em alta e conquistaram o amor dos fãs em solo doméstico. Por isso, performar Roly Poly é um desafio enorme hoje em dia. Dito isso, se preparem pra ver a pior apresentação até agora. Elas erraram TUDO, a coreografia totalmente cagada, as vozes péssimas, parecia que eu tava vendo o Lidio Mateus no Astros de tão ruim. Obviamente, o pessoal odiou e a Mnet deixou isso aqui de fora usando novamente o bom senso que raramente ela tem. Apesar da Chenhan cantar como se tivesse fumado dois maços de Derby vermelho, ela tem um timbre bonito que dá pra ser trabalhado ao longo dos episódios.

Favorita: Lin Chenhan.

Strong Girls – Helicopter

(Wen Zhe, Chang Ching, Fu Yaning, Li Jiayi, Cai Bing)

E chegamos na última e mais importante performance desse primeiro episódio, espertamente deixada pro final por motivos de: alimentou muita polêmica na fanbase. Vamos ao início: a Yaning é uma participante que já entrou cagada por ter dito a n-word em algum programa de TV chinês e, obviamente, isso causou um burburinho. Não queriam que a menina debutasse, mesmo com a carta de desculpas escrita às pressas antes da estreia do programa. Eu acho justo, racista tem que se foder, ainda mais se for uma folgada igual a ela.

Isso leva a gente pro segundo ponto, que foi ter desafiado a Yujin ao vivo usando a letra de Helicopter, o agora famoso “we go up (…) but you don’t” [sic]. Sei lá, eu gosto desses fervos, mas achei um pouco desnecessário porque a menina tava de boa na plateia esperando a vez dela de se apresentar, além do fator estressante que é se submeter a um programa de sobrevivência depois de ter debutado há 7 anos em uma empresa relativamente famosa. Mas enfim né, cada um pensa de um jeito. 

Sobre a performance, achei uó. A Yaning quis emular a Yeeun e não conseguiu um décimo disso (imagino a Yujin mandando mensagem pra Yeeun depois, “você viu a fracassada kkkk”). Infelizmente, ela se acha muito mais do que é, como dizer que as japonesas são muito “fofas” pra serem aces, e que não viu nada demais nas participantes. Arrombada, é isso que ela é. Toda minha torcida contra vai pra essa piranha. 

Favorita: Cai Bing. 

Considerações finais

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Youtube

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

8 pensamentos

  1. Ótimas análises! Mas confesso que torço pela Ezaki, EXATAMENTE pela falta de empolgação dela. Sei lá, gosto de idols com perfil de anti-idol…

    Uma crítica que li em vários lugares, e com a qual eu concordo, é que a Mnet parece ter colocado de propósito as piores performances das japonesas e chinesas, fazendo elas parecerem bem amadoras perto das coreanas. O que seria compreensível no primeiro caso (já que no Japão as idols começam cruas focando só no carisma e vão desenvolvendo as habilidades com o tempo), mas não no segundo (já que o nível nos Produce da China costuma ser bem mais alto que o dos feitos na Coreia). Há também quem diga que eles poderiam ter selecionado competidoras melhores desses dois países (mas até aí, com a pandemia, talvez outras idols melhores tenham preferido não se arriscar com aglomerações e afins).

    Sobre as gêmeas, uma pena que elas foram péssimas… eu ia AMAR se elas entrassem no grupo final. As duas (porque se tem gêmeas competindo, não faz sentido colocar só uma no grupo; é um gimmick bom demais pra ser descartado, vide o LOONA constantemente forçando a imagem de “gêmeas” da HyunJin e da Choerry mesmo as duas só sendo vagamente parecidas e facilmente diferenciáveis).

    Curtido por 1 pessoa

    1. A propósito, a performance da Ruiqi ainda não foi mostrada, certo?

      Também estou torcendo por ela (e pela Nagai e pela Jeongmin – fico feliz em saber que as duas foram bem nessa primeira rodada – e pela Chaeyun, que fico feliz que tenha sido bem avaliada pelos jurados mesmo não tendo se saído tão bem).

      Curtido por 1 pessoa

    2. faz muito sentido exibirem as piores performances das japonesas e chinesas como forma de manter uma certa “superioridade” das coreanas dentro do país delas com um gênero criado por elas. óbvio, eu tbm acho que faz sentido o que eu comentei sobre diferenças culturais sobre o jeito de fazer música, mas kpop tbm é política, né?

      e sim, a ruiqi parece que vai performar solo no próximo ep

      Curtir

      1. Solo? Caramba, bem que você tinha dito que ela tinha potencial pra ser a Chungha desse reality…

        Com o carisma que ela esbanjou só com aquele vídeo do C-Team (e depois na performance individual da música-tema, repetindo o truque da carta de baralho DUAS VEZES), cacife pra prender a nossa atenção nós já sabemos que ela tem de sobra.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Eu aqui chocado porque nem me dei ao trabalho de assistir as performances cortadas pela Ment e tem várias que são ótimas!

    Mas o que eu não entendi mesmo foi eles cortando o cover do TTS, sendo que poderia esfolar um drama maravilhoso com a Tiffany, ao invés de só mostrar 5 segundos do negócio.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s