MVs com temática esportiva pra você se sentir menos sedentário nessas Olimpíadas

Quase que essa edição das Olimpíadas não sai, hein? O coronavírus, os escândalos de corrupção, as piadas xenofóbicas… Quando tudo parecia bem, era uma novidade infeliz que ameaçava o futuro da Tokyo2020, mas agora já estamos há 4 dias repletos de competições. Confesso que eu gosto muito dos Jogos Olímpicos e sempre fico ansiosa perto da estreia, e agora que eu to de férias fica ainda melhor pra acompanhar as partidas de madrugada. 

Enfim, com isso eu decidi movimentar o blog nessa semana meio estranha (mais uma) pra reunir alguns MVs de kpop que tenham esse conceito de esportes, mais atlético e tal. É um pouco difícil os grupos trabalharem nessa temática, ainda mais as meninas. Podiam retomar, né? Assim como as Olimpíadas, esse tipo de conceito quase sempre rende músicas babadeiras. Mas ainda assim consegui reunir dez deles com a ajuda de um pessoal do Twitter pra gente listar e discutir sobre. 

Obs.: se você é brasileiro médio kpopper e torce pra Coreia do Sul, você é um koreaboo desgraçado. 

10. WA$$UP – Fire

As gostosonas do WA$$UP rebolaram ao som de uma música especial sobre o time coreano na Copa do Mundo de 2014 (que foi aqui no Brasil, onde você estava no dia do 7×1?). O MV de Fire é extremamente caseiro e mal feito, mas é divertido acompanhar um monte de garotas de microshorts se empurrando num fundo verde pra fazer gol, e a música é animada o suficiente pra deixar tocando de fundo enquanto lava aquela louça gigantesca do fim de semana. O futebol é mais feio que o da seleção brasileira feminina hoje contra a Zâmbia, mas isso não é motivo pra você deixar de torcer pras lendas nas quartas de final, hein? 

09. Apink – Mr. Chu 

Conceito de tênis é o que não falta no nicho de MVs esportivos, ainda mais pra girlgroups. E foi assim que Mr. Chu virou um dos sucessos mais rentáveis e lembrados do Apink no auge da sua longeva fase white aegyo. As “partidas” de tênis não acrescentam nada na narrativa do MV, mas eu gosto bastante da estética dele (até porque a direção ficou a cargo da fabulosa Digipedi), assim como a música, que deixa uma pontinha nostálgica graças ao synthpop delicado que monta o instrumental. O tênis brasileiro também não tem um nome forte desde a aposentadoria do Gustavo Kuerten, mas hoje começam as partidas em duplas pra você torcer.

08. LOONA ⅓ – Love&Live

As provas de atletismo costumam ocorrer nos últimos dias de evento, então ainda vai demorar um pouco pra vermos a grande equipe brasileira em ação nas diversas modalidades. Enquanto isso, você pode curtir Love&Live, da sub-unit mais injustamente esquecida do LOONA no revezamento 4×100 com bastão, e a discriminação das meninas pela Vivi ser um robô. Eu acho esse MV uma gracinha, e sempre morro de dó da Vivi guardando os sucos que ela ganha no armário e não alcançando as amigas dela sem as baterias. 

07. GFRIEND – Glass Bead

Na época, isso aqui foi muito acusado de ser uma cópia “descarada” de Into the New World das soshis, mas eu acho Glass Bead um debut bem consistente pra um grupo do qual não se esperava nada. Podiam simplesmente jogar um conceito escolar genérico no GFRIEND aqui, mas elas foram além e mostraram um dia de prática na ginástica, se equilibrando em traves e saltando sobre o cavalo. São provas bem comuns da ginástica artística, e a nossa maior aposta é a Rebeca Andrade, que compete em três finais (salto, solo e individual geral) nessa próxima quinta. 

06. Hyoyeon – Wannabe (feat. San E)

Quem não lembra do icônico mashup entre Wannabe e K.O, da Pabllo Vittar? As duas jantaram no conceito boxe mais ou menos na mesma época e renderam comparações hilárias, mas eu gosto de verdade dessa música da Hyoyeon. Acho que ela acertou em entregar uma coisa mais divertida e descontraída, fazendo um ótimo debut solo (mesmo errando com a presença do seboso do San E). Estamos indo bem no boxe em Tóquio, tanto masculino quanto feminino, formando uma grande geração de pugilistas que podem influenciar outras crianças no futuro. 

05. Weeekly – After School

O skate estreou extremamente bem nos Jogos Olímpicos, rendendo a prata pro Kelvin Hoefler e pra nossa fadinha Rayssa Leal, a mais jovem medalhista da história do Brasil. E nada melhor do que um grupo de pirralhas andando de skate pra representar esse esporte, né? Com After School, o Weeekly fez um ótimo comeback e vem traçando uma trajetória bem legal nessa nova geração de grupos femininos, sendo um dos nomes mais fortes e aguardados da atualidade. Em Tóquio, ainda temos a modalidade park pra acompanhar, com mais seis atletas brasileiros que, com certeza, vão nos representar de forma brilhante. 

04. WJSN – Happy

Eu vi uma galera comentando Twitter sobre queimada e como a gente esmagaria todo mundo caso fosse esporte olímpico. Mas caso vocês não saibam, dodgeball é um esporte competitivo em alguns lugares do planeta e, curiosamente, isso não inclui o Brasil. Doido, né? Já que a queimada é um esporte muito difundido nas escolas, mas aqui a gente só vê como brincadeira mesmo… Não é o caso do WJSN em Happy; aqui, elas levaram a queimada tão a sério que uma bolada acabou mandando uma delas pro hospital. Eu sou apaixonada nesse MV e a música sempre me traz uma sensação muito boa de felicidade. Um dos grandes acertos da carreira do WJSN. 

03. Orange Caramel – Lipstick

Tênis de mesa é um esporte muito forte na Ásia, principalmente na China. Mas, pela primeira vez na história, temos um brasileiro nas quartas de final: Hugo Calderano! E você pode torcer por ele na próxima partida, dia 29. Além disso, a Coreia do Sul também tem atletas bem preparados nesse esporte, e o Orange Caramel representou muito bem o tênis de mesa por equipes em Lipstick. Com um trot gostosinho característico do trio, aqui elas estão dispostas a jantar qualquer adversário por conta de um amor não correspondido. Não é a melhor música delas, mas é uma das mais divertidas da lista. 

02. Girls’ Generation – Oh!

Não, cheerleading não é um esporte olímpico, mas o que seriam dos atletas sem um pouco de motivação e incentivo de um grupo de gostosas fazendo saltos e balançando seus pompons? Como o SNSD já experimentou de tudo durante os dez anos de atividade, não tinha como não incluir essa belezinha aqui. Isso sem contar que elas sensualizam nos uniformes de futebol americano (que também não tá nas Olimpíadas) e entregaram em Oh! uma das melhores músicas da carreira. Isso aqui poderia estar em qualquer trilha sonora de qualquer filme musical adolescente dos anos 2000 de tão delícia e brega que é, a energia é tão contagiante que fica até difícil de acreditar que foi lançada durante o inverno de 2010. 

01. AOA – Heart Attack

Essa é o suprassumo da temática de esporte no kpop; não é pra menos, já que o AOA foi o maior grupo objetificador de profissões que já existiu (insira aqui aquele tweet do Pop Asiático.jpg que eu não achei). Em Heart Attack, elas são atletas gostosas da seleção de lacrosse em mais um bopzão produzido pelo Brave Brothers, evocando esses coros que parecem gritos de torcida organizada e botam a música ainda mais pra cima. Hoje em dia esse é o grande momento do AOA enquanto grupo pra mim, maior que a minissaia, maior que as gatas espiãs, maior até que as salva-vidas de Baywatch. E o melhor de tudo é que elas jogam de shortinho enquanto os adversários tão com toda a aparelhagem do uniforme, querem coisa mais 2015 que isso? Já nas Olimpíadas, o lacrosse foi um esporte da programação lá no início da década de 1900, mas como absolutamente ninguém além da América do Norte e o AOA jogam isso, excluíram de vez. 

Esse post tem como objetivo ser descontraído, mas queria tomar esse parágrafo pra dizer a real: o esporte em geral é muito desvalorizado no Brasil, ainda mais com o nosso governo atual. Não existe incentivo, diz-se muito que ser atleta é pedir pra passar fome e, com isso, muitos jovens ao redor do país têm seus sonhos minados. Somos lembrados somente pelo futebol masculino em ocasiões especiais, mas saibam que existem atletas extremamente capacitados em todos os lugares desse Brasilzão. E essa Olimpíada só comprova isso: é o nosso melhor início dos jogos desde 1920, quando tivemos nossa primeira participação. Lutem pelo esporte brasileiro. Apoiem nossos atletas. Eles precisam do nosso suporte mais do que nunca. 

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Curious Cat | Instagram

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

3 pensamentos

  1. Adorei o tema da lista, e especialmente o parágrafo final! Isso é muito verdade; infelizmente o esporte é uma área bastante ignorada pelo Brasil. Se bem que não é só o esporte, né; a arte e a cultura também.

    “e a discriminação das meninas pela Vivi ser um robô”

    Na verdade “Love&Live” é o contrário disso; a temática é sobre como a ViVi se sente distante das colegas por ser diferente (um androide, que é uma metáfora pro fato dela ser de outro país e ainda estar se adaptando ao idioma novo). Mas não só as outras garotas estão com ela o tempo todo (vide as cenas delas tomando suco de caixinha juntas, indo pegar o metrô juntas, elas vendo a ViVi fazendo cesta, etc.), como o MV extra de “You And Me Together” indica que elas já sabem que a ViVi é um androide E ACEITAM (tem uma cena da ViVi descarregada no meio do corredor e a HyunJin coloca o carregador dela na tomada).

    “Love&Live” é uma antítese de “love4eva” do yyxy: no primeiro, uma garota se sente excluída mas depois percebe que as outras a aceitam como ela é; no segundo, a exclusão é escancarada (embora o vídeo promocional “one” indique que a Olivia só foi excluída pra que ela fugisse do Éden por conta própria e se reencontrasse com as outras três).

    Duas coisas em que a BBC pecou feio no pré-debut do LOONA: não ter aprofundado mais a história do 1/3 (fora a ViVi ser uma androide que no fim vira humana, os outros MVs solo e da unit não têm enredos conectados entre si – sem falar que “Sonatine” sequer tem um enredo), e não ter dado um repackage e nem mesmo um segundo single pro yyxy…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Aliás, três coisas em que ela pecou: tem também o fato da YeoJin até hoje não ter sido colocada em nenhuma unit (tinha aquela história de que ela seria o “/” no “1/3”, mas até no período em que a HaSeul ficou afastada, quando o 1/3 cantava ou dançava as músicas da unit eram só as outras três que participavam, sem a YeoJin).

      Se bem que hoje as três units estão mortas (quarto pecado da BBC), então não faz muita diferença…

      Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Brave Sound Drop It Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s