Taeyeon desiste de fazer cover da Taylor Swift pra tentar extrair sua Doja Cat interior em Weekend

O comeback da Taeyeon é sempre um evento a parte, né? Não só por ser uma das solistas mais famosas da Coreia do Sul, mas por sempre levantar suspeitas infundadas sobre um retorno do SNSD (insira aqui o meme do menino gritando “ela não vem mais!!!” pras pocs abandonadas pela Lady Gaga no Rock in Rio de 2017). O único dia do ano em que a gente vai ver as soshis juntas é no aniversário da Tiffany, entendam isso. 

Por enquanto, temos Taengoo fazendo seu aguardado retorno, e olha: isso aqui foi MUITO aguardado. Logo nas primeiras fotos divulgadas, tivemos um escândalo coletivo no Twitter por conta dos visuais belíssimos de Regina George (rendeu até um meme maravilhoso do Dougie). E o conceito prometeu tanto que eu troquei a identidade visual do blog todo com a cara dela, até porque o AYO GG é rosa e a Taeyeon enfiou rosa a ponto de todos virarmos um monte de Majin Boos por ela. 

Pois bem, Weekend já está entre nós. Bora dar aquela espiadinha no MV antes de comentar.

Não sei vocês, mas apesar de gostar muito da Taeyeon, eu tenho uma relação estranha com os lançamentos dela. I, 11:11 e Happy são péssimas; Why, Fine e What Do I Call You são imemoráveis; I Got Love, Something New, Spark e Four Seasons são maravilhosas. Sempre me sinto numa sinuca de bico quando essa mulher decide fazer um comeback porque eu quero aclamar, ela merece toda a aclamação do mundo, só que nem sempre eu consigo me forçar a fazer isso. 

Foi com esse cenário que eu desejei que Weekend viesse bem e com saúde depois de ver as fotos. Não é todo dia que a gente vê a Taeyeon em umas roupinhas tão Paris Hilton dos anos 2000 exalando todo o girly power cheio de glitter daquela menina rica que fazia bullying com você no colégio (isso foi muito específico, tá tudo bem?). E eu amei. Tava pronta pra deixar a possível música de patricinha cuspir na minha cara e me chamar de feia. 

Acontece que Weekend não é exatamente tudo isso. Existe uma linearidade estranha aqui, talvez falte um pouco mais de pulso no que a música se propõe, que é basicamente ser uma versão coreana de Say So (sem o fator Doja Cat mostrando a polpa da bunda por motivos de censura). Alguns elementos não deixam Weekend cair na caixinha de imemoráveis da Taeyeon que existe na minha cabeça, eu gosto da introdução ser logo o refrão porque isso faz com que a música não seja totalmente esquecível, mas poderiam ter investido bem mais no conceito funky. 

O MV também tinha tudo pra ser mais interessante do que é. Apesar de mostrar a Taeyeon aproveitando o fim de semana de todas as formas possíveis, parece que a historinha “trancada no escritório” não foi aproveitada ao máximo. Acho que isso deve ser por conta da direção do MV, daí o resultado não ficou tão legal. Eu gostaria de ter visto que no final foi tudo um sonho da Taeyeon enquanto o chefe dela dá uma bronca por ter dormido durante o expediente. Talvez essa até fosse a ideia se a gente for pegar os diferentes cenários que fazem referência a diferentes décadas (gente, ela tem uma bolsa da Von Dutch… Taeyeon é cringe?). 

Óbvio que eu não vou reclamar porque é raro ver a Taeyeon nesses momentos mais descontraídos, mas sei lá, acho que a SM tem medo de arriscar a imagem de super vocalista dramática que ela tem. Eu mesma acho isso uma bobagem; são essas delicinhas bobas que rendem as melhores músicas da discografia dela, daí essa falta de amplitude no direcionamento da Taeyeon acaba prejudicando lançamentos que tinham tudo pra arrematar os fãs. Weekend mirou no Say So da Doja Cat e virou uma faixa mediana do Future Nostalgia, mas só de não ser mais um cover ruim do Folklore já foi pra minha playlist. 

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Curious Cat | Instagram

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

2 pensamentos

  1. Eu tô custando a lembrar da música, mesmo ouvindo mto, meu ponto é que é comprida demais essa faixa para isso… Quase 4 minutos, uma leitura de Crime e Castigo, quase hahaha (E nem vou citar a heresia que foi falar mal de I… Imperdoável!)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Guilherme Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s