Off topic: A gente precisa bater um papo…

TW: Esse texto contém descrições explícitas de episódios de ansiedade. Cuidado ao prosseguir. 

Oi, gente! Não, o blog não morreu, e eu sei que é a segunda vez que eu trago um off topic só nesse mês, mas realmente a gente precisa conversar.

A vida é doida, né? Tá tudo andando nos conformes quando, de repente, um buracão se abre no chão e derruba a gente. Em resumo, foi isso que aconteceu comigo nos últimos dias. Nunca fui boa com metáforas ou em falar bonito, então vou ser direta. Eu faço tratamento pra ovários policísticos (que, quem não sabe, causa algumas alterações hormonais, tipo acne, ciclo irregular, dificuldade de engravidar e, se não for tratado, pode levar a diabetes e falência do pâncreas). Enfim, eu sempre soube que tinha, desde muito nova eu tomei Roacutan, o que alterou todo o meu organismo por ser um remédio extremamente forte, mas depois ninguém me falou que eu deveria continuar tomando pílula, por exemplo. Eu tive reações esquisitas com a pílula, então os ginecologistas ficaram por isso mesmo, até porque eu não tinha vida sexual ativa, mas ninguém nunca me explicou os riscos do ovário policístico.

Tá, agora eu to fazendo tratamento depois de ficar mais de um ano sem menstruar e, no começo do mês, ela finalmente veio! E com a fé de que meu ciclo voltaria a ser o que era antes, continuei fazendo minhas coisas do dia-a-dia na maior alegria. Chegamos na segunda coisa. Lembram do cisto que eu comentava nos posts no começo do ano (a review do debut do PIXY surgiu do meu mau-humor com os remédios do tratamento dele)? Então, esse diabo (que se chama cisto pilonidal) voltou a inflamar e, dessa vez, doeu tanto que eu fiquei dois dias sem dormir. Lá fui eu no hospital pra médica examinar, mas não precisou fazer a drenagem dessa vez, só tratar com antibiótico. Voltei pra casa e já comecei a tomar assim que possível, porém os dias foram passando e eu me sentia mais estranha: náusea, desânimo e uma angústia esquisita. 

Cortamos pra terceira parte. Domingo agora eu fui num parque em São Bernardo do Campo, tava calor, eu até brinquei de pega-pega com os meus primos pequenos, mas depois disso bateu um enjoo desgraçado. Fiquei um tempão sentada no banheiro até passar, e até passou, mas eu sentia que eu tava estranha, sabe? Isso durou até o horário da noite, quando eu sentei no sofá pra ver TV e senti um aperto no peito, seguido de formigamento no braço. Pra quem não sabe, eu sou diagnosticada com transtorno de ansiedade generalizada desde 2018 e faço tratamento, mas caí na besteira de cortar o remédio de repente. E eu até fiquei bem por um tempo, talvez até esse último domingo. Como eu já tive outras crises, tentei me acalmar fazendo exercício de respiração e tal, mas não deu. Eu não aguentava um minuto sentada, tentava respirar e o ar não vinha, e o desespero de achar que era minha morte me levaram ao pronto-socorro. Eu, Rafaella, sabia que não era nada, mas meu subconsciente não obedecia. 

Ansiosos no pronto-socorro são bem constrangidos, ainda mais se o profissional não sabe lidar. Na triagem, me perguntaram o que eu tava sentindo, mas eu não sabia responder direito porque a minha voz quase não saía. “Você tá com dor no peito?” “Não sei, acho que sim” “É sim ou não”, e daí começam a tratar seu caso como um infarto, você vai de cadeira de rodas pro leito e fica lá, estirada feito um peixe enquanto as enfermeiras te enchem de eletrodos. “Você tem ansiedade?” “Sim” “Entendi…”, e do lado de fora da cortina do leito, elas comentam meio irônicas sobre como os casos de dor no peito aumentam perto da segunda-feira. Ninguém quer sair de casa às 23h, no meio da pandemia, pra passear no hospital; a gente vai porque sente que precisa, e, naquele momento, eu não ia me acalmar enquanto não me dissessem que tava tudo bem. E tava mesmo: com os exames todos bons, tomei um diazepam e fui pra casa às 3 da manhã, sem um atestado. 

Ou seja, um buracão se abriu sob meus pés nesses últimos dias. Agora eu to tomando vários remédios pra diferentes coisas, enquanto as demandas no trabalho e na faculdade aumentam. Ainda tenho choques de ansiedade durante o dia, que passam rápido, mas que tiram minha vontade de escrever sobre o Girls Planet 999, os comebacks da semana ou qualquer outra coisa de legal que eu queira fazer aqui. Significa que o blog morreu? Não, mas a dona dele tá numa fase horrível (e ela vai sair dessa), então espero que vocês entendam que o AYO GG pode dar uma desacelerada momentânea, e que a minha performance não tá nem em 10% pra me preocupar com o mundinho asiático ou coisas desse tipo. No fundo, eu sei que os remédios são pro meu bem, pra eu entregar uma melhor versão de mim no futuro (o final de carta de desculpas de idol, socorro).

Era isso que eu tinha pra falar pra vocês. Amanhã tem comeback do ITZY e eu espero que seja bem ruim pra dar um gás na escrita. Desculpem pela franqueza e até!

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Youtube

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

8 pensamentos

  1. Primeiro, sinto muito pelo q está passando e espero q vc melhore logo. Adoro o blog e o cuidado que você tem com as postagens!
    ”Ansiosos no pronto-socorro são bem constrangidos, ainda mais se o profissional não sabe lidar. ” – SIM! SIM! SIM! Pessoas com qualquer transtorno mental são completamente constrangidas e diminuídas quando precisam buscar ajuda no meio de uma crise. Sou uma pessoa reativa e situações ruins podem ficar bem piores se eu notar que estou sendo maltratado. Desejo melhoras. Por enquanto, leva o blog como uma fuga. Escreva quando estiver bem. Fighting!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Rafa, primeiro de tudo eu sinto muito por tudo isso que você tá passando e principalmente espero que tudo passe assim que possível, porque ninguém merece passar por essas coisas. Eu fico realmente de cara no quão anti éticos são a maioria quando se trata ansiedade ou qualquer outro transtorno, e esse tipo de gente deveria passar longe da área da saúde… Enfim!
    De verdade, melhoras! 💕

    Curtido por 1 pessoa

  3. Rafa, amiga, sério, espero que vc melhore logo, e que vc vá se cuidando aos poucos, td dentro dos limites, vamos entender seu sumiço daqui (Do twitter manda um oi por dia para sabermos que está viva, isso ajuda eu que sou ansioso a não ficar mais preocupado haha)

    E tirando a parte que fiquei puto com as atitudes médicas que tiveram com você, pq eles pegaram a noção e enfiaram em algum lugar que o WordPress não vai me permitir falar, tô aliviado que vc conseguiu, ao menos, desabafar. Sério, que vc melhore logo! 🙂 🙂 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  4. Rafa, muita força pra ti 💖💖 Espero que as coisas comecem a, pelo menos, ficar mais calmas e que você vá melhorando…

    Fico triste pelo que você teve que passar no meio de uma crise :/ (ainda mais depois de uma virada boa no tratamento envolvendo os óvulos policísticos) Mas fico muito feliz que você tenha aproveitado esse espaço pra desabafar e tirar isso do seu peito

    Tenta ficar tranquila com o blog, sejam atualizações rápidas ou devagares, tamo junto xD 💖

    (O final carta de desculpas de idol foi a mais kk Até com as dificuldades a gente acha algo pra rir, né?)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s