Xepa AYO GG | Lançamentos que não deram tempo de comentar

E aí, galera! Xepa de hoje saindo bem mais tarde que o habitual porque eu saí com a minha mãe e a mulher é uma máquina de andar, a gente deu mais volta que peão procurando moletom pra minha sobrinha e no final não achamos nada… Acabei de chegar em casa e to com os pés moídos, sem contar uma dor de cabeça horrível por ter ficado o dia todo sem beber água (o Gui deve tá felizão de ler essa última parte, risos).

Enfim, a última semana de julho continuou no mesmo ritmo das outras: sem muitos lançamentos bons pra comentar. Só na sexta-feira que o Dreamcatcher balançou nossos mundinhos com a ótima BEcause e praticamente salvou o mês de um fracasso completo. Agosto tá batendo na porta e promete uma revolução, pelo menos nos seus primeiros dias, to bem ansiosa pra ver o que teremos de legal pra falar no blog. 

Enquanto isso, vamos varrer o que sobrou de julho pra finalmente virar a página pro próximo mês.

Kwon Jinah – Knock (ft. Park Moonchi)

Gente, que delicinha de música! É muito bom quando a gente tem expectativas zero pra algo e a experiência acaba sendo bem acima da média, né? Depois do EP murcho que a Kwon Jinah lançou em fevereiro, Knock traz uma refrescância e uma simplicidade tão gostosa que fica difícil acreditar que são músicas da mesma pessoa, mas ainda é uma ótima surpresa. É como se fosse outra face do verão coreano. 

Solar, Moonbyul – Promise U

Conhecendo o que eu conheço do MAMAMOO, a Solar e a Moonbyul costumam formar um duo em diversas ocasiões (até porque as vozes das duas contrastam muito bem), mas como o Wendell comentou no blog dele, parece muito uma música de despedida. E logo de um grupo que eu menos esperava por conta da consistência dos lançamentos até o ano passado (seja isso bom ou ruim). Na real, não sei qual o propósito de Promise U, tem cara de cover de alguma velharia da Coreia, mas ela seria bem melhor se tivesse mais pulso. O tropical house 101 não vende nada comigo e é até uma pena porque esse refrão melancólico parecia promissor.

Nada – Spicy

Essa aqui ia ganhar um post solo, mas ontem eu cheguei muito cansada em casa também. E que pena que não ganhou, tá muito bom! Acho que o meme so excited for #Nada nunca fez tanto sentido; eu amei o conceito dos teasers e a Nada vende muito bem essa imagem mais bold (quem assistiu o Miss Back sabe, a bicha mandou um twerk cantando balada), só que o receio de Spicy ser horrível pairou em cima de mim. O refrão é excelente e só faz crescer com essa junção de ballroom e trap industrial (quem diria que os dois gêneros se misturariam tão bem?). Eu gosto do trabalho solo da Nada: Body ainda é um puta hit na minha playlist, e agora Spicy também parece que vai render bastante comigo.

SWJA – BUFFALO

BUFFALO pode ser muito conceitual à primeira ouvida, mas também é muito boa. Parece algo que a Billie Eilish ainda tenta fazer e anda falhando miseravelmente (conforme os números dos singles mais recentes dela). Não conheço muita coisa da SWJA pra dizer isso ou aquilo, mas a primeira impressão que eu tenho, pelo menos com essa música, é que pode ser uma boa porta de entrada pra quem quer ouvir mais k-indie sem precisar topar com aquelas músicas de cafeteria entediantes. 

CherryB – OOTD

Como isso aqui, por exemplo. 

BIBI – Why Y (ft. Tiger JK)

Meu Deus, como a BIBI trabalha. Pelo menos, Why Y é melhor que todo o Life is a Bi… E nem precisa de muito pra isso também. 

Ahn Yeeun – CHANGGWI

TW: Não assista ao(s) lyric video/teasers se você for sensível.

Não sei quem é Ahn Yeeun, mas eu topei com o teaser de uma música chamada CHANGGWI no Youtube e isso surge com uma das coisas mais aterrorizantes que eu já vi. Não no sentido de ser ruim; é literalmente uma música sobre uma lenda urbana coreana de uma alma de um homem que foi morto por um tigre e vaga por aí cantando músicas tristes antes de matar suas vítimas. O lyric video foi feito em 60 fps e a sensação de horror é ainda maior com as figuras animadas enquanto a Ahn Yeeun canta a lenda de uma forma sofrida. É uma coisa bem incomum de se ver e talvez ensine um pouco sobre as lendas urbanas da Coreia do Sul. 

Koda Kumi – We’ll Be OK

Dizem que o verão no Japão só começa quando a Koda Kumi lança algo. Aí ela apareceu com We’ll Be OK, certamente uma imagem bem diferente do que ela vinha lançando nos últimos anos, mas ao mesmo tempo MUITO melhor que todas as coisas horrorosas que fizeram parte das comemorações de vinte anos de carreira da velha. Achei bem simpática, principalmente porque ela sabe andar de salto na grama. 

ZOC – LiBiDo FUSION

Nem acredito que o ZOC acertou num lançamento! LiBiDo FUSION é uma delicinha que nem de longe lembra as péssimas experiências tecnológicas que o grupo entregou até hoje. Óbvio, têm umas meninas cantando extremamente desafinadas como todo ato japonês que segue a mesma linha “alternativa”, mas a música continua sendo bem boa pros padrões delas.

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Curious Cat | Instagram

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s