Cinco anos de IOI: a baguncinha mais quente e injustiçada do kpop recente

Papo reto: IOI fez cinco anos e, no começo do mês, as integrantes fizeram a reunião tão esperada por todos os orfãos do grupo. E eu sei que o título desse post parece repetitivo, forçado, encheção de saco… Ninguém aguenta mais ouvir o que as pessoas têm a dizer sobre a carreira meteórica do primeiro grupo nascido da (depois) franquia Produce, mas a verdade é essa e vocês precisam aceitar.

Pois bem, as meninas se reuniram pra uma lavação de roupa suja, com direito a comes e bebes e reprodução de coreografias antigas no melhor estilo Random Play Dance. Isso resume o que foi o evento promovido pela Olleh TV, em parceria com o aplicativo Seezn e o serviço de streaming TVING, chamado I5I – Yes I Love It! Contando com a presença de quase todas, parece ter sido bem divertido, já que ninguém disponibilizou legendas no Youtube e eu fiquei chupando dedo. 

Mas, pra não deixar passar em branco, resolvi relembrar a trajetória do IOI como forma de homenagem, bem como os passos de cada integrante após o fim do grupo. Afinal, como a boa baguncinha que é, rendeu ótimos frutos (alguns igualmente injustiçados). 

O IOI foi formado a partir da primeira edição do Produce 101, o survival show da Mnet que, futuramente, renderia muita polêmica. E como o nome já diz, 101 garotas de 45 empresas foram reunidas e avaliadas em rankings de A a F. No final, apenas 11 debutariam como IOI, nome que faz alusão ao número 101. No dia 4 de maio de 2016, o grupo fez sua estreia com a chatinha mas funcional Dream Girls, rendendo um remake do remake de Whatta Man e a extremamente viciante revisitação de Gee, Very Very Very. Como eu disse no começo, a passagem do IOI no kpop foi muito curta em relação ao seu sucesso, com o fim do contrato no final de janeiro de 2017. Pouco mais de oito meses.

Aí o Produce virou uma febre na Coreia do Sul, rendendo várias versões. Vimos a formação do Wanna One, do IZ*ONE e do X1, sempre aumentando o tempo de contrato (descobri que o X1 tinha cinco anos programados). Isso até a Mnet ser acusada de fraude e esquema de compras de votos por parte de várias empresas que enviaram seus trainees pros programas. E a reunião do IOI, que sempre foi muito aguardada, sofreu vários adiamentos, mas até que foi bom por um lado: culminou de ser bem no quinto ano do grupo.

E, se por um lado, o IOI foi muito bem sucedido durante esse pouco tempo, não sei se a gente pode dizer a mesma coisa em relação ao que se formou após o fim dele. Sejam grupos já disbandados, carreiras estagnadas ou que demoraram pra pegar no tranco, resolvi relembrar, por ordem decrescente, a trajetória das nossas 11 meninas revolucionárias. 

#11 – Yoo Yeonjung

A única representante da Starship na line-up final, a Yeonjung não parecia ser uma aposta muito forte (apesar de ter sido ranqueada como A), aparecendo no top 11 lá pros últimos episódios, quando o programa fez justiça ao seu vocal poderosíssimo na apresentação do cover de Day by Day, do duo Tashannie. Até hoje, o timbre dela é muito comparado ao da Taeyeon. 

Depois do fim do IOI, a Yeonjung debutou como a 13ª integrante do WJSN durante as promoções do segundo mini álbum, quebrando o conceito de casas do zodíaco que o grupo tinha (na verdade, ela foi introduzida como a constelação de serpentário, mas acho que os desenrolares fizeram com que a Starship abandonasse o conceito de vez). Assim como no Produce 101 e no IOI, a voz dela é muito forte e característica nas músicas, e acho que ela é uma das melhores vocalistas dessa geração. 

#10 – Lim Nayoung

Representando a porcona da Pledis, a Nayoung teve a difícil missão de encarar um cover do After School nas apresentações em grupo no quarto episódio, e ainda tendo a Kahi nos bastidores te gongando. Não só ela se saiu bem, como foi a terceira mais votada entre todas as participantes. Em AH, a Nayoung conseguiu mostrar um lado bem maduro que a música exigia, transmitindo uma vibe parecida com a da Uee (mesmo que ela nem estivesse no After School no debut). 

Por ser bem centrada e séria, a Nayoung atuou como líder do IOI e, em seguida, do Pristin, que foi a grande promessa da Pledis e um dos grupos mais aguardados pós Produce 101. Enquanto eu não gosto dos dois singles que o Pristin lançou, a sub-unit tem uma das melhores músicas de 2018, e a Nayoung fez parte disso. Logo após o fim do Pristin em 2019, ela terminou seu contrato com a Pledis e se lançou como atriz no drama Flower of Evil, ganhando outros papéis importantes posteriormente.

#09 – Kang Mina

Foram poucas as vezes que a Mina ficou de fora do top 11 ao longo do programa, e, na sua maioria, conseguiu posições altas. Além de permanecer no ranking A junto de outras trainees da Jellyfish, acho que seu maior ponto de destaque durante o Produce 101 foi a performance de Say My Name, das Destiny’s Child, onde ela quebrou tudo e arrancou a primeira posição entre as competidoras de dança do episódio sete. 

Meses após o IOI, a Jellyfish juntou as participantes do programa com outras trainees e formou o gugudan, que teve seu fim recentemente após dois anos sem comeback. A Mina ajudou na popularização do grupo, que demorou pra crescer, fazendo parte das duas sub-units criadas ao longo do período em atividade. Apesar do gugudan ter acabado, a Mina continua na Jellyfish, fazendo parte do quadro de atores, e protagonizou diversos dramas, inclusive dividindo a tela com sua ex-companheira de IOI, Nayoung.

#08 – Kim Doyeon

A Doyeon, trainee da Fantagio, demorou um pouquinho pra figurar o top 11 do Produce 101, mas conseguiu o feito com louvor ao interpretar o papel da Krystal em LA chA tA, do f(x), na competição em grupos. Essa aura mais sóbria, ainda que juvenil, fez com que ela ocupasse o quinto lugar nos votos ao vivo do quarto episódio. 

Das cinco trainees da Fantagio, apenas ela e mais duas foram escaladas para debutar no novo grupo da empresa, o Weki Meki. Apesar das vendas capengarem um pouco recentemente, o Weki Meki consegue se manter como um nome crescente dentro do país e um dos que mais conseguem se reinventar a cada comeback. Além disso, a Doyeon fez parte de uma unit especial entre a Fantagio e a Starship chamada WJMK, que lançou uma única música meio sem expressão em 2018. Vira e mexe, ela participa de alguns dramas também. 

#07 – Jung Chaeyeon

A infame MBK mandou três trainees pro Produce 101, incluindo a Chaeyeon, que já havia debutado com o DIA meses antes. Visto que o grupo não estava chamando atenção o suficiente, a empresa viu no programa uma ótima oportunidade de lançar duas integrantes e tentar tirar algum proveito disso. Pode-se dizer que a Chaeyeon foi uma das zebras dessa edição, saindo do ranking C pro quarto lugar logo no primeiro episódio e se mantendo no top 11 depois disso.

Porém, o sucesso do IOI pouco refletiu no DIA, que continuou com queda nos seus números e saídas constantes de integrantes. Elas conquistaram um pouco da minha atenção com Woowa em 2019, mas não passou disso, e a MBK continua negligenciando as coitadas oferecendo músicas ruins e até enfiando o grupo numa possível line-up do Road to Queendom. Por sorte, a Chaeyeon vem fazendo seu pé de meia, atuando em vários dramas. 

#06 – Zhou Jieqiong

A segunda trainee da Pledis é a única não-coreana da line-up final do IOI. Também chamada de Kyulkyung (ou Pinky), ela quase esteve sempre ali no ranking, seja no top 3 ou na cola dele. Tem alguns momentos legais no programa, mas eu queria ressaltar a audição dela junto das outras meninas da Pledis, onde elas apresentaram Bang! na frente da Kahi e arrancaram sorrisinhos da veia, principalmente a Kyulkyung com o carisma estourando. Tanto que ela foi a única das sete que conseguiu se manter no ranking A e continuar despontando ao longo dos episódios.

O tempo não foi justo com a Kyulkyung após o IOI. O Pristin disbandou no seu auge e, ainda assim, ela preferiu renovar com a Pledis. A sorte é que ela tem uma fanbase muito sólida da China e conseguiu arrancar vários trabalhos por lá, desde dramas, um solo e até foi mentora de dança na versão chinesa do Produce. A bicha tá tão ocupada que ela nem conseguiu participar presencialmente da reunião do IOI. 

#05 – Kim Sohye

Dentre todas as integrantes do IOI, a Sohye foi a única que não buscou carreira na música. Sendo a única trainee da empresa RedLine, conhecida em absolutamente nada, acho que podemos considerá-la como a verdadeira zebra do programa. Ranqueada com dois F e tropeçando nas competições, Sohye teve seu highlight ao interpretar de forma maravilhosa a música Full Moon, da Sunmi, nas competições de dança do sexto episódio, e ficar em sétimo na classificação geral. É impossível assistir essa performance sem ficar hipnotizado por ela.

Desde então, sua carreira de atriz decolou, ganhando papéis cada vez mais significativos, como o premiado filme Moonlit Winter. Além disso, a Sohye foi nomeada diversas vezes já ganhou alguns prêmios por suas atuações, como Atriz Revelação por Best Chicken, no Asia Model Festival. Sohye também é empreendedora: é dona de uma empresa de entretenimento, a S&P, e abriu um café chamado Penguin’s Café, um local destinado a ter um tempinho com os fãs. 

#04 – Kim Chungha

Essa aqui dispensa apresentações, né? A atual dinda dos gays Chungha foi uma das duas trainees enviadas pela MNH pra participar do Produce 101 e ficou muito conhecida por levar um esporrão da Yoonjung depois de apresentar um remix de 24 Hours, da Sunmi, e ter que se virar nos 30 pra improvisar uma dança. Foi ali que ela jantou todas as participantes servindo uma coreografia bem quentinha pra música Yoncé, da Beyoncé, e ganhando um Azão. Depois disso, foi trabalho de formiguinha até ela figurar entre as 11 meninas da line-up final.

Como já era notado, a Chungha sempre teve ares de solista, e assim aconteceu quando ela debutou em 2017 com o EP Hands on Me. Porém, sua explosão foi com a catártica Rollercoaster, no ano seguinte, e de repente todos os grupos começaram a fazer suas próprias versões da coreografia. Desde então, a Chungha lançou muita música de qualidade, dando ao público exatamente o que eles querem: uma diva pop com a discografia aclamada. 

#03 – Choi Yoojung 

A Yoojung foi uma das trainees da Fantagio que competiram por uma vaga no top 11 do programa.Tendo um salto do ranking D ao A, ela fez valer seu esforço e marcou presença na line-up por todos os episódios, sendo a sua posição mais alta um segundo lugar durante o oitavo episódio, onde somaram-se os votos totais das apresentações de dança. Junto com outras participantes que acabaram debutando no IOI também, a Yoojung arrebentou na performance de Bang Bang, collab entre Jessie J, Ariana Grande e Nicki Minaj, sendo ela um dos maiores destaques do Produce 101 todo. 

Em seguida, junto da Doyeon e outras trainees, ela debutou no Weki Meki e também participou da unit especial entre a Fantagio e a Starship. Além disso, ela é creditada como compositora em diversas músicas do IOI e do Weki Meki, já cantou algumas OSTs e fez alguns trabalhos pra televisão, como os programas Secret Unnie e My Mad Beauty 3. 

#02 – Kim Sejeong

Fazendo parte da Jellyfish, a Sejeong já entrou com tudo no programa, sempre figurando entre o top 1 e 2. Seu destaque não poderia deixar de ser a belíssima interpretação da música Yanghwa Bridge, do cantor Zion.T, acompanhada de todas as high notes que ela soltou ao longo da apresentação. Inclusive, ela foi a participante que mais conseguiu votos no programa inteiro; foram mais de 1,4 milhões de votos computados que a levaram ao primeiro lugar do ranking no episódio oito. 

Sejeong debutou no gugudan junto da Mina, e ambas foram responsáveis por levantar a popularidade do grupo ao longo da sua existência. Com o fim do gugudan, a Sejeong continuou trabalhando na Jellyfish, despontando como uma atriz de sucesso, principalmente depois de protagonizar o drama The Uncanny Counter. E obviamente ela não perderia a oportunidade de soltar o vozeirão que a fez tão popular no Produce 101. Recentemente, ela lançou seu segundo EP, I’m, e promoveu o single Warning em parceria com o rapper lIlBOI. 

#01 – Jeon Somi

Vou começar falando que eu tinha uma birrinha da Somi, mas hoje eu entendo que ninguém além dela poderia ter sido melhor center e face pro IOI. A única aposta da JYP para o Produce 101 (e a única empresa da big 3 a mandar uma trainee), Somi sempre esbanjou carisma e postura necessárias para se tornar uma idol de sucesso, seja protagonizando uma briga fake que nunca foi exibida no programa, cantando Lips Are Moving na audição ou trazendo brilho na performance de Into the New World, do SNSD; mas seu ponto mais alto é o choro aliviado por finalmente conseguir debutar.

E é por isso que a gente costuma dizer que as pessoas são ingratas com a Somi. Ela não debutou no TWICE, não debutou no ITZY, saiu da JYP, foi pra uma subsidiária da YG e lança um single por ano. E o mais revoltante é que todos são maravilhosos: Birthday é despojada, enquanto What You Waiting For representa o desabrochar de uma nova faceta dela. É muito difícil entender porque as coisas não caminham pra Somi, tornando o talento dessa garota algo extremamente subestimado pela indústria coreana. 

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Curious Cat | Instagram

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s