“Você pinta como eu pinto?”, questiona Wheein para o seu ouvinte em water color

Pra completar a saga de solos do MAMAMOO, a RBW finalmente deu alguma coisa além de singles pra Wheein (se bem que eu não conto Spit it Out não, a Solar ficou careca pra promover um single péssimo e eu achei uma sacanagem). Apesar de não saber muito bem o que esperar, eu fiquei ansiosa pro conceito do EP. Minha reação não poderia ter sido diferente quando as primeiras fotos saíram. 

Depois de muita música e OST mixuruca, seria uma broxada colossal se a Wheein aparecesse com um lançamento água com açúcar, ainda mais quando 1) é um solo que vem depois da dona Maria animadora de plateia oficial do grupo 2) a title se chama water color, né? Pois muito que bem. 

Vamos dar uma espiada no MV antes de tudo. 

Explicando o porquê de não ter me surpreendido com as primeiras fotos do lançamento, a Wheein é a integrante com a maior veia artística do MAMAMOO. Ela pinta, minha gente, ela é pintoura. No Instagram dela, a gente encontra vários quadros, customizações, materiais de pintura, tudo de coisinhas que ela produz. Então, quando as fotos dela toda suja de tinta vermelha apareceram, a minha reação não foi outra a não ser: “é a pintoura!”

Portanto, water color tem a função de expor toda a relação da Wheein com a arte mesmo, enquanto ela, muitas vezes, se vê como uma tela branca a ser pintada com todas as cores que existem. Isso fica bem explícito na letra, mas se você for daqueles que só assiste o MV e balança a cabecinha com a batida, tudo bem; a Wheein se preocupou com a estética visual também. Os looks cafonérrimos cumprem esse papel de mostrar que ela é uma artista sensível, multifacetada e disposta a mostrar seus diversos tons. 

A produção do MV, inclusive, tá muito boa. As cenas conseguem captar essa sensação que as cores transmitem: o azul de calmaria, o vermelho de intensidade… Aliás, eu acredito que o EP se chame Redd por conta dos primeiros versos de water color, onde a Wheein canta “Eu vou me desenhar numa folha branca com cores fabulosas/Quando penso em mim consigo me imaginar colorindo tudo de vermelho”. Todo artista carrega dentro de si essa intensidade, por mais clichê que a ideia de se imaginar como uma folha em branco pareça. No final, nós somos isso mesmo: quem passa por você, te colore como quer. Por que não dar a primeira pincelada?

Minha cena preferida do MV todo é quando a Wheein mergulha e tudo se transforma em uma pintura em aquarela na tela. Na imensidão azul, ela encontra um pavão, e pavões são coloridos. Eles abrem a cauda e um milhão de cores aparecem. Pra chamar atenção? Sim, mas pavões não sentem vergonha por mostrar todos os tons que as penas deles possuem. Acho que isso fica muito claro pra mim num verso em específico que sintetiza water color. “Às vezes sinto que não quero sorrir (tudo vai ficar bem, você pode chorar)”. Aquarela só faz sentido se misturada com… Água! As nossas cores verdadeiras podem surgir em momentos de tristeza também, como limpar o pincel num copo e ver todos os tons se misturando. 

water color é um R&B delicioso que expõe, mais uma vez, o lado intimista de uma integrante do MAMAMOO. A personalidade fragmentada de Spit it Out, a obscuridade de Eclipse e a sensualidade de Maria… Nenhuma delas fez tanto sentido pra mim quanto essa música da Wheein. É um conceito que traduz ela por inteiro, nos mínimos detalhes. A Wheein vem de uma criação bem conservadora, então ser uma artista que fala e faz arte (e ainda exibindo as tatuagens que ela fez escondido) representa uma bela quebra de expectativa. Afinal, o mundo é feito de arte, e nós também.

Escute também: TRASH (feat. pH-1)

O EP da Wheein é exatamente o que eu esperava de um EP da Wheein. Tem muito som de cafeteria, muita música irônica e muita balada, e eu não costumo gostar de coisas assim (tanto que eu achei a tracklist bem chatinha). Mas, como eu preciso destacar uma b-side pra vocês, eu escolhi TRASH porque, apesar de ter aquela sonoridade um pouco tediosa (o feijão com arroz do coreano médio), o brilho dela tá na letra. Gente, escutem essa música lendo a letra e vocês não vão se arrepender em descobrir uma das maiores safadezas que o ano de 2021 proporcionou até agora. Em parceria com o rapper pH-1 (sim, aquele que canta sugar mommies look a little thirsty pro IZ*ONE), Wheein canta sobre saliência e pootaria até o amanhecer com um cara que é um lixo, pintando com o pinto dele. Absolutamente tudo, minha gente, quem nunca ficou com um bosta, mas se arriscou mesmo assim porque a sentada era boa? É sobre isso! 

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

2 pensamentos

  1. Amo que o Dougie tá influenciando xs outrxs blogueirxs a elaborarem títulos apelativos, hehe! Brincadeiras à parte, essa water color me surpreendeu, visto que, no Mamamoo, enquanto Solar e Hwasa brilham, Moonbyul e ela ficam mais ofuscadas

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s