Xepa AYO GG | Lançamentos que não deram tempo de comentar

Apesar do cenário caótico que estamos vivendo enquanto consumidores de kpop por conta dessa guerra entre Spotify e Kakao M, eu ainda preciso me comprometer em trazer conteúdos do pop asiático pra vocês. Afinal, foi pra isso que eu criei o blog.

Aproveitando o gancho, queria comentar um pouco sobre como vão ficar as playlists aqui do AYO GG. Como eu comentei no meu post dedicado ao assunto, eu sou assinante do Spotify há 7 anos, então a plataforma sempre esteve muito presente no meu dia-a-dia. Acho prática, leve, fácil, a primeira coisa que eu faço quando ligo o computador é abrir o programa pra ouvir alguma coisa. 

Então, posts que carregam uma playlist, como os pacotões de fim de mês ou alguma lista especial do blog, vão continuar existindo. Amanhã é março e logo nessa primeira semana temos o comeback da YUKIKA, bastante aguardado pela blogosfera, e como ela foi uma das artistas afetadas por essa revolta da Kakao M, óbvio que não vai ter como incluir ela no AYO GG MARÇO/21.

Com tudo isso dito, eu respeito e concordo com a decisão de suspender as playlists mensais dos meus colegas de blogosfera Lunei e Wendell, mas tem algo importante sobre mim: eu respiro música, e eu respiro pra falar de música pra qualquer pessoa disposta a ouvir. Então acho que vou passar a fazer as playlists no Youtube até termos uma conclusão concreta disso tudo. Ou seja, pacotões mensais e outras miscelâneas continuam existindo até algum descompensado resolver banir tudo.

Enfim, agora que eu tirei isso do peito, vamos ao post dominical da Xepa com todos os lançamentos da semana que não renderam pauta. 

APOKI – Get it Out

Olha, eu não faço ideia do que seja essa coelha do Zootopia cantando na tela do meu computador, mas não é tão ruim quanto parece. O MV é bem feitinho e botou essa coisa feiosa aqui pra mamar. Só acho muito doido o Youtube me recomendar isso na mesma semana que eu assisti uma série japonesa da Netflix chamada Followers (não vou dar muitos detalhes pra não estragar a experiência de alguém que esteja vendo ou queira ver, mas é mais ou menos isso).

KEEMBO – Inside

Bom, o KEEMBO sobreviveu tempo o suficiente pra lançar um full álbum, pra ódio de qualquer pessoa que desejou que isso aqui não desse certo. E Inside é uma versão mais melancólica do que o Mamamoo entregou no CF de roupas ano passado (sério, não tem como só eu ter notado a semelhança). Não superou a música sobre berro, mas é bem melhor do que elas desovaram no início do ano. 

Cheetah (ft. JAMIE) – Villain

Finalmente eu consigo dizer que gostei de algo que a Cheetah lançou. Villain é uma excelente música com ares do hit Flashing Lights, do Kanye West, um instrumental contido e sensual como Better, da BoA, e mais uma parceria de qualidade da JAMIE (que, pra mim, tem um saldo mais positivo que a ex-companheira de 15&, que lança umas chatices conceituais demais pra mim). Não é a toa que a Cheetah conquistou o terceiro lugar do pacotão de fevereiro com essa belezinha.

keumjo – Moonlight

A gatinha ex-Nine Muses (of Star Empire) lançou mais uma baladinha intimista. E é só isso mesmo. 

Suran – Sunny

Já o affair do menino do BTS lançou outro R&B chatíssimo, como tudo que ela lança.

Sana – Sotsugyou

E a Sana lançou um cover da música Sotsugyou, da banda japonesa Kobukuro, e essa aqui é digna de nota. Ouvindo isso aqui, eu percebi como a voz dela brilha mais intensamente em japonês. Não sei se é porque ela tem pouco espaço vocal no TWICE na briga entre a Nayeon e a Jihyo e aí as chances de mostrar quais são as cores da voz dela são praticamente nulas, ou se é porque a língua nativa dela é japonês, mas a Sana deixou a música (que já é bonita originalmente) muito melhor. 

AiNA THE END – Dare Dare Dare

Faz pouco tempo que eu conheci o trabalho solo da AiNA THE END (até porque ela debutou no finalzinho do ano passado) e eu acho que as músicas têm uma plasticidade além do convencional. Dare Dare Dare, por exemplo, é um rock. Mas não é só um rock, entende? É um trabalho artístico que transparece desespero e angústia, com todos os gritos roucos que preenchem os ouvidos e deixam uma aura pesada pro ouvinte lidar. Ainda não superou Kinmokusei, mas… Foi quase (e só por isso não entrou no ranking de fevereiro).

aiko – Jishaku

Já a aiko entrou na nona posição do pacotão mensal e, quanto mais eu ouço Jishaku, mais esse pop rock bonitinho me preenche de alegria. E eu também fico chocada como essa mulher parece que rejuvenesce a cada ano. 

Ikimonogakari – BAKU

BAKU também foi parar na lista de fevereiro, sendo esse o maior feito do Ikimonogakari desde que eles lançaram Blue Bird. Parabéns por voltarem a ter minha simpatia. 

É isso, galera. Agora vamos aguardar os próximos capítulos da novela do Kakao M vs Spotify. Sinceramente, não sei o que esperar… Acho que não sei nem esperar.

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s