Xepa AYO GG | Lançamentos que não deram tempo de comentar

Domingueira chegou, minhas férias também e vocês vão ter que me aturar por duas semanas sem absolutamente nada pra fazer e comentando qualquer tipo de coisa nesse blog (na verdade, não vai ter tanta mudança na frequência de posts, mas pode ser que role uma ou outra review de álbum durante esse tempo).

E também chegou a Dona Xepa, esse quadro que eu junto tudo que saiu e eu não comentei pra fazer o favor de comentar agora pra você que esperou a minha opinião sobre as suas faves da semana (implicando que eu sou um site famoso).

Hoje o post tá comprido porque passei a acompanhar os números da Oricon diariamente, já que o jpop tem essa agenda bagunçada desde sempre, então acabei descobrindo muita coisa do Japão essa semana. Bora conferir!

Pink Fantasy – Lemon Candy

Até hoje eu tento entender pra onde o Pink Fantasy quer ir com essa menina que veste um capacete de coelho (e que nesse MV virou uma máscara de gato). Porque ela não canta e, pelo menos em Lemon Candy, nem tanto destaque ela teve.

Enfim, o MV é divertidinho, mas dá pra ver que claramente faltou dinheiro. A música é bem qualquer coisa e até digo que elas lançaram coisas bem melhores anteriormente.

Saturday – Only You

O Saturday foi um desses grupos pequenos que sofreram com a pandemia, e até o próprio CEO da empresa delas veio a público pedindo pra que apoiassem o comeback do ano passado porque eles estavam sem dinheiro e ele amava o grupo demais.

O último comeback tentou ser um viral e até que rendeu umas moedinhas, sendo o MV mais rápido do Saturday a alcançar um milhão de views, mas a situação ainda tava difícil. Pra não deixar as meninas paradas por muito tempo, mas sem gastar muito, a escolha mais sensata foi essa música mais fofa e de fácil digestão que é Only You. O MV também é bem simples, só mostra o grupo cantando como se fosse um episódio do falecido Acústico MTV. Espero que dê tudo certo pra elas daqui pra frente.

Berrygood – Time for me

Não sei desde quando o Berrygood é um quarteto porque eu tenho a impressão de que era um grupo muito maior em integrantes. De qualquer forma, Time for me é a contribuição tardia do Berrygood pra onda retrô/groove/disco coreana, mas eu sinto que isso aqui faria muito mais sucesso se deixassem para lançar entre maio e junho.

E outra: esse outro ato do Berrygood segue sendo insuperável pra mim.

Suzy – Oh Lover

A atriz Bae Suzy compôs uma música na promessa de virar uma cantora e ela se chama Oh Lover. Engraçado que ela me lembra muito uma tal de Bae Suzy que tentou carreira solo dentro do próprio grupo lá na JYP…

Nada de muito memorável aqui. Meio comprimido de diazepan faria mais efeito.

HYNN – With and Without You

Mais uma dessas baladas de inverno carregadas de drama que os coreanos adoram ouvir e dar engajamento no Gaon, mas que pra mim é absolutamente dispensável.

ITZY – Not Shy Eng. Ver in ZEPETO

Eu tava DOIDA pra falar disso aqui. Na tentativa de fazer o ZEPETO acontecer pela milésima vez, foi a vez da JYP apostar no aplicativo pra dar uma carreira internacional para o ITZY.

E ficou pior do que eu esperava. Não dá pra levar esse MV a sério, gente. Até o Buddy Poke faria melhor. Acho que poderia simplesmente lançar Not Shy em inglês como uma faixa bônus ou um single digital sem essa porqueira de acompanhamento porque daí só seria mais uma dessas faixas que são ok em inglês. Agora segura seu Framboesa de Ouro aí, Jinyoung.

Amefurasshi – MICHI/BAD GIRL

Abrindo a seção japonesa que ninguém dá a mínima, eu trouxe dois singles do Amefurasshi pra gente comentar. O primeiro deles é MICHI, que é essa faixa super simpática e viciante, e que por algum motivo ainda não tem no Spotify. Não sei dizer se isso é realmente uma música original do Amefurasshi ou um cover porque simplesmente ninguém me deu a informação na internet, mas sigo apreciando essa belezinha descompromissada.

Por outro lado, BAD GIRL existe no Spotify e no site oficial do grupo, mas seria muito melhor se não existisse de forma alguma. É um tryhard, daqueles de se contorcer de vergonha alheia e que eu não sei como charteou na Oricon. Não ouçam isso aqui sem um traje especial chumbado anti-radiação.

Nogizaka46 – Boku wa Boku wo Suki ni Naru

Eu ando meio amarga com os grupos 46 desde que o Akimoto resolveu matar o melhor deles pra transformar em mais um grupo 46 genérico, mas vamos falar do Nogizaka. Boku wa Boku wo Suki ni Naru é a sua música padrão de garotas fofas cantando em coral afim de te emocionar de alguma forma, então pra mim é bem tanto faz.

ANDCRAZY BREAK – Girls Legend

Eu gosto da proposta desse PV jogando o grupo como um bando de hackers e tentando te convencer da veracidade da história mesmo com o baixíssimo orçamento, mas a música é simplesmente repugnante. As vozes dessas garotas não harmonizam de jeito nenhum e eu fiquei com raiva ouvindo isso.

ZOC – AGE OF ZOC/DON’T TRUST TEENAGER

Isso aqui é aquele grupo que faz valer o adjetivo “estranho” ao Japão, mas é tão estranho que chega a ser bom. AGE OF ZOC tem um PV que não faz nenhum sentido, a desculpa perfeita para quem não tem dinheiro nenhum na conta pra produzir algo, mas no final a estética é o que te cativa. Prato cheio pra um bando de homens berrarem a plenos pulmões no meio de um show em Akihabara.

DON’T TRUST TEENAGER, o single B, tem a função de ser algo mais dramático pra contrastar com a música anterior. O que não quer dizer que é menos estranho, pelo menos em sonoridade, mas aqui a gente tem mais versos melódicos, parece que elas sentem cada letra do que estão cantando, já que a música é basicamente sobre a dor de… crescer.

Leo Ieiri – Sora to ao

Depois de lançar o hino oficial dos cansados, a fofíssima Leo Ieiri volta com Sora to ao, a power ballad que não é tão ballad assim que todos nós esperamos alguém lançar em algum momento. Essa música é maravilhosa e tem o selo de qualidade Leo Ieiri como tudo que ela costuma lançar.

Sandal Telephone – SYSTEMATIC

Aparentemente, o Japão também mergulhou nessa onda mais retrô e anda apostando em coisinhas mais fáceis de apreciar, como SYSTEMATIC, do Sandal Telephone. Eu tenho gostado demais dos lançamentos do grupo e a forma como elas resgataram essa sonoridade mais antiga da música popular do Japão, um pouco de city pop, um pouco de dancepop, um pouco de europop, quase um passeio pelo que estruturou o jpop moderno. Uma preciosidade que vocês precisam escutar urgentemente.

Esses foram os lançamentos da semana. Teve bastante coisa pra comentar, né? Logo mais chega a primeira playlist mensal do blog, com os números que eu mais gostei durante o mês de janeiro. Algumas músicas da Xepa vão estar nessa playlist, com certeza… Boa semana pra nós!

Autor: Rafa

26 anos, de São Paulo e ativa nessa vida de pop asiático há mais tempo do que eu gostaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s