Kpop, News

De Galinha Pintadinha à ressurreição do kpop clássico, Nayeon estreia com a obra-prima Pop!

Depois de quase sete anos de grupo, o velho-safado-sonegador-de-imposto do JYP resolveu tirar a coleira do pescoço do TWICE e passou a designar atividades individuais pras integrantes. A gente teve alguns projetos como a volta do Melody Project e o photoshoot da Jihyo, mas nada tão estruturado e trabalhoso como uma estreia solo, por exemplo. Isso até a internet explodir com o anúncio do primeiro mini álbum da Nayeon algumas semanas atrás.

Não é tão surpreendente a Nayeon ser a escolhida pra iniciar os trabalhos no período de estagnação e declínio do grupo, afinal ela é uma das integrantes mais populares, a mais comunicativa e com a imagem mais versátil (não é bias, dá pra perceber isso se a gente observar a dinâmica do TWICE em entrevistas e realities show, por exemplo). Eu só não imaginava ser algo tão pomposo como os teasers mostraram, e pra isso eu tenho que aplaudir porque a transformação que fizeram da Nayeon pra uma mulher adulta e sexy foi espetacular. 

O que esperar dessa estreia? Bom, dá uma olhada no MV aí embaixo.

Antes mesmo de sair oficialmente, Pop! teve trechos vazados e virou uma espécie de piada entre a galera. “É isso que a Nayeon vai lançar?”, foi a pergunta que geral fez, enquanto o refrão po-po-pop! viralizava no Tiktok como se fosse um novo número musical da Galinha Pintadinha. E eu ri. Bastante, aliás, porque naquele pedacinho de áudio a Nayeon realmente parecia uma galinha cacarejando, mas eu enxerguei uma possibilidade meio camp nisso tudo, como se fosse mais uma gostosa retornando às origens do kpop divertido e estranho que os ocidentais viam com olhos tortos. 

A JYPE não é de dar solos pros seus idols, a não ser que o grupo esteja em decadência, como a Fei em Fantasy (outra ótima canetada do Jinyoung) na época do desastre da suzyficação do miss A, ou com a Sunmi e a Yenny quando o Wonder Girls já caminhava pro seu fatídico fim. Isso não quer dizer necessariamente que o TWICE vai acabar, até porque o grupo ainda é o ato mais rentável e certeiro da empresa, mas elas já atingiram o patamar mais alto da carreira e uma intervenção pra resgatar a memória do coreano médio de que elas ainda estão trabalhando é lançar alguém solo. E aí a Nayeon, com todos os atributos que eu falei lá em cima, entra em cena.

Pop! é arriscada. Tão arriscada que virou meme antes do lançamento, mas o Jinyoung poderia muito bem saber que vazar um trechinho “sem querer querendo” poderia causar o rebuliço que ele esperava, seguindo a premissa do fale bem ou fale mal. E causou: Pop! foi comentada por dias e dias até sair hoje, aumentando a expectativa de todo mundo em saber se a Nayeon lançaria mesmo essa coisa ridícula ou era só uma piada. Gostar disso aqui denuncia a sua idade e diz muito sobre o que você consome dentro do kpop. 

Acontece que, pra Nayeon, a piada é você. Pop! é tão gostosa, tão 2014, tão “moda antiga” que ela se torna inteligente, quase cult. Abusando de toda a receita que o TWICE gerou em sete anos, o projeto solo da Nayeon deve ser um dos mais caros, bonitos e impressionantes que, pelo menos, esse ano apresentou. São quatro versões do EP, vários photoshoots com inúmeros conceitos diferentes e uma caralhada de looks, além do MV que parece um musical da Broadway ou um novo filme do High School Musical, algo que quiseram fazer com a Somi nesses últimos anos e falharam de maneira dolorosa. Toda essa mega produção pra Nayeon cantar por menos de três minutos que seu coração pode explodir de tanto amor por ela, sinceramente… Perfeito.

A sonoridade de Pop! é um R&B do tipo que a Meghan Trainor fazia (ou faz, não sei por onde anda a lenda), principalmente em All About That Bass, bem colorido e chiclete. Sim, extremamente chiclete, eu desafio você a esquecer o po-po-pop logo depois de escutar isso daqui. A Nayeon é tão versátil que fica até difícil imaginar qual tipo de conceito um solo dela exploraria, mas Pop! caiu como uma luva e, com o carisma milionário que ela tem, quem ouve e assiste não tem muito o que fazer a não ser se deixar levar nessa viagem maluca que a música te obriga a embarcar.

Eu poderia ficar muito tempo falando sobre Pop! Poderia falar de cada detalhe, de como a própria Nayeon tira sarro daquele stalker dela, sobre como o conceito de self álbum foi levado ao extremo com a mente de titânio de quem planejou usar o dedo dela como apóstrofo no sobrenome, sobre o eo estar em itálico, enfim… Eu tenho muitos pensamentos sobre essa estreia, mas acho que o que define Pop! por completo é ser, de fato, kpop. Antigamente, não existia (ou aparentava não existir) o medo de errar; a música saia e era um pop “bobo” com a função de divertir. Pop! é a síntese de como misturar em proporções exatas um hit saudosista com um hit do Tiktok, e eu acho revolucionário o suficiente a ponto de todo mundo aprender um pouco com ela. 

Escute também: No Problem (ft. Felix of Stray Kids)

Diferente da title, o EP de estreia da Nayeon não é tão revolucionário assim. Tem boas músicas, mas a maioria fica presa ao R&B de cafeteria que o coreano tanto gosta, então se você for como eu, vai achar tudo muito chato. Só duas faixas acabaram se destacando de verdade comigo, e uma delas foi No Problem, uma parceria com o menino com voz de tia Odete que fuma seis maços de Derby vermelho por dia do Stray Kids. O instrumental usado é semelhante a Moonlight, do próprio TWICE, lançada no ano passado no último álbum delas, que por si só é muito parecida com All Night Long do Lionel Richie. A diferença é que No Problem tá muito mais voltada pra new wave usando esses sintetizadores mais melancólicos, porém é ótima igual. Eu recomendo Candyfloss também se quiser ver a Nayeon carregando um número do TWICE no começo de carreira sozinha. 

Acompanhe o AYO GG nas redes sociais:

Facebook | Twitter | Youtube

Se você gosta muito do AYO GG e quiser transferir uns trocados pelo Pix, utilize a chave rafaellasolla@hotmail.com.

7 comentários em “De Galinha Pintadinha à ressurreição do kpop clássico, Nayeon estreia com a obra-prima Pop!”

    1. são coisas que eu não elaborei direito mas “eo” (예) é um jeito informal de dizer sim em coreano. e a parte do stalker é quando ela tá autografando as fotos dela e aparece uma mão do nada

      Curtir

  1. Amei de tantas maneiras esse solo, estou ansiosa pelos próximos, espero que a empresa dê pelo menos um mini álbum solo pra cada uma, será que é pedir muito kkkkk ?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s